Pesquisar Tratamento

Dicas para fazer a criança parar de chupar o dedo

Dicas para fazer a criança parar de chupar o dedo
maio 28, 2021

Se o comportamento persistir após os 5 ou 6 anos de idade, a pressão e o movimento de sucção começarão a provocar alterações na boca e nos dentes. Os dentes da frente podem se projetar e a mordida da criança ficará aberta, impedindo que os dentes superiores e inferiores se toquem. As alterações ósseas começarão a afetar o alinhamento dos dentes permanentes

SE a criança estiver com hábito de chupar o dedo, Ofereça uma chupeta (preferencialmente ortodôntica) ao bebê; chupetas são mais fáceis de tirar.

Crie um gráfico e um sistema de recompensa para acompanhar o progresso do seu filho ao abandonar esse hábito.

Incentive e elogie o seu filho quando ele tentar parar.

Em primeiro lugar, muita paciência. Nenhum comportamento muda de uma hora para outra, nem com adultos e nem com crianças. É preciso tempo e compreensão durante esse processo.

Ofereça à criança um espaço para falar sobre seus sentimentos. Estimule conversas que permitam a expressão das emoções, fale sobre si, pergunte sobre o dia dela e demonstre que se interessa por seus assuntos.

Proponha atividades manuais. Recortar, colar, pintar, desenhar… Ao estar com as mãos ocupadas, muitas vezes a criança não se lembra de levá-la à boca.

 Brinquem de desenhar nas pontas dos dedos, coloquem adesivos ou curativos coloridos. Os “dedinhos enfeitados” podem ser um estímulo a mais para que a criança não os coloque na boca.

 Interrompa o hábito durante o sono. Quando perceber que a criança está dormindo com o dedo na boca, tire de maneira delicada.

 Aumente o tempo das mamadas. Se a criança ainda mama no peito, deixa-la sugar por mais tempo pode ajudar, já que chupar o dedo pode sinalizar uma carência afetiva.

 Não tenha atitudes radicais. Colocar pimenta, pó de café ou qualquer outra substância amarga ou picante nos dedos da criança pode agredir seu organismo e não será eficaz.

Não ridicularize a criança na frente de outras pessoas. Essa atitude pode aumentar ainda mais sua ansiedade e insegurança.

Ofereça às crianças mais velhas alimentos fibrosos, frutas e legumes.

Se a dificuldade persistir procure ajuda especializada. Dentistas, fonoaudiólogos, nutricionistas e psicólogos podem orientar a melhor maneira de auxiliar a criança.

 

Consulte um dentista para aprender sobre os efeitos positivos da interrupção desse hábito.

Efeitos na boca

Se o comportamento persistir após os 5 ou 6 anos de idade, a pressão e o movimento de sucção começarão a provocar alterações na boca e nos dentes. De acordo com a ADA, os dentes da frente podem se projetar e a mordida da criança ficará aberta, impedindo que os dentes superiores e inferiores se toquem. As alterações ósseas começarão a afetar o alinhamento dos dentes permanentes. O dentista do seu filho pode avaliar essas alterações e dar um encaminhamento para o ortodontista ou odontopediatra para uma consulta. De acordo com o Langone Medical Center da Universidade de Nova York, em casos muito raros, um aparelho dentário ou anteparo lingual pode precisar ser colocado no céu da boca para impedir esse comportamento. Quanto mais cedo o hábito for interrompido, maior será a chance de corrigir a mordida.

Ao longo da minha experiência profissional, apenas um dos meus pacientes continuou a chupar o dedo na adolescência e exigiu intervenção. O hábito é comum em  bebês, crianças pequenas e até pré-escolares e serve como um mecanismo de enfrentamento e conforto que faz parte do desenvolvimento normal. Mas a permanência é prejudicial.

Postou dentro Blog notícias de Claudio Reis | Tags: , , , ,